Uma viagem extraordinária – regressei às origens, Trás-os-Montes, terra que me vi forçado a abandonar quando tinha cinco anos. As quentes noites passadas em cima do Tua, a gastronomia inolvidável, a ternura de um povo rijo, vertical e genuinamente solidário, amigo, altruísta como nenhum outro, deixou na face da minha mãe as lágrimas que ela não quis chorar, muito diferentes daquelas que chorou quando, idos de um país mais litoral, rumámos a Trás-os-Montes para aí fazer vida.
Em Trás-os-Montes, quando olhamos para o horizonte, estamos sempre no monte mais alto da cercania, entra-nos a Natureza pela pele, abrem-se os poros sorvendo a essência de um lugar inimitável, gentes de grandeza ainda maior do que a paisagem recebem-nos como se nos conhecessem desde sempre.
Estes lugares são os Lugares do Azeite, de uma alma lusa nobre, íntegra – é para aqui que desejamos voltar, sempre. É aqui que nos enamoramos da vida, é aqui que percebemos, na plenitude, a dimensão da nossa existência. Miguel Torga definiu os transmontanos como ninguém: “cavam a vida inteira. E, quando se cansam, deitam-se no caixão com a serenidade de quem chega honradamente ao fim dum longo e trabalhoso dia.”
É assim que nos sentimos em Trás-os-Montes – honrados pelo trabalho, mais perto de Deus, talvez; de nobreza feitos, os transmontanos são maiores do que todos os outros, voz doce, punho firme, face esculpida a preceito pelo sol de uma vida inteira de costas rectas arqueadas pela verticalidade da labuta.
O dourado azeite, de sabor refinado, afagado pelas mãos de quem conhece a terra e o que ela dá, cresce numa simbiose entre a sabedoria de um povo que se inspira nos montes serrilhados de um lugar mágico e a frieza clínica dos novos lagares. E dá ao mundo o melhor dos azeites, o Transmontano.
Se procuram alma, este é o lugar em que a irão encontrar.

John Gallo

Uma edição Chappa

A Chappa é uma agência colaborativa orientada para a criação, desenvolvimento e produção de projetos predominantemente ligados à imagem.
A Chappa distribui conteúdos, promove o desenvolvimento e produção de projetos criativos, artísticos e institucionais na área da imagem; complementarmente, desenvolve programas de apoio e assessoria a entidades públicas e privadas.
Para artistas, a Chappa assume-se como uma plataforma de apoio dinâmica, proporcionando a todos os que ambicionam impulsionar a sua carreira, ajuda na elaboração de projetos, acesso a financiamento, aconselhamento artístico e técnico. A Chappa oferece ainda novas formas de expor e tornar visíveis portfólios de exceção, seja através da publicação online seja em suporte físico.

www.chappa.pt

O Fotógrafo: John Gallo

John Gallo é fotógrafo sócio documental e o diretor do Fujifilm Festival Internacional de Fotografia de Viseu.
John acredita que o foco de todos nós têm que ser as pessoas; segundo ele, urge humanizar o planeta, alterar a relação que temos tido com a Natureza e garantir que não hipotecamos o futuro dos nossos filhos.
Até 2007 dedicou-se à fotografia comercial, contudo desde que se mudou para o Reino Unido John tem dedicado mais tempo à realização de foto ensaios, fundamentalmente ligados a questões relevantes do ponto de vista socioeconómico. Desde então o seu trabalho tem sido publicado por jornais e revistas de renome internacional, quer na Europa, quer nos Estados Unidos; John tem sido comissionado para trabalhar em parceria com empresas públicas, privadas, museus e organismos oficiais em Portugal e no Reino Unido – a sua assinatura enquanto autor é única: imagens excecionalmente gráficas, trabalhadas até ao limite do frame, conjugando os elementos com mestria, transmitindo mensagens fortíssimas. John tem produzido seminários e workshops de elevada qualidade aclamados quer no Reino Unido, quer em Portugal. Em 2015 John Gallo foi distinguido com o Joan Wakelin Award, galardão atribuído pelo jornal The Guardian em parceria com a Royal Photographic Society.

www.johngallo.co.uk